segunda-feira, 14 de março de 2011

Fairy Tale

Vi a princesa a sair do livro, o qual eu mantinha aberto em cima da mesa de cabeceira. Dirigiu-se a mim e beijou-me na testa. Fiquei contente, toquei-lhe na mão. Queria garantir que não era um sonho. Queria ter a certeza que era real, que existia. Sentou-se a meu lado, disse-me que iria ficar por tempo indeterminado, todo o tempo que eu quisesse. E, a cada palavra sua, aumentava a minha incerteza. Era bom demais para ser verdade. Todo e cada momento vivido com ela, transcendia qualquer momento em que considerei o expoente da felicidade. Ao lado dela, eu era sinceramente feliz. Mas, com o passar do tempo, não conseguia esquecer a história de amor que lera no livro de onde a princesa saíu. E, não conseguia imaginar-me no lugar do principe encantado. Pensava, pensava, pensava... E todas as frases, todos os diálogos, estavam registados no meu pensamento. Li e reli aquele livro vezes sem conta. Umas vezes apaixonei-me pela princesa, outras pelo principe. Sabia que pertenciam um ao outro. Mas eu não conseguia e agora, recusava-me a fazer parte da história. Fecho o livro, apago a luz, coloco a mão na beira da cama, sinto o vazio, fico com a certeza que não existe princesa, e continuo como sempre... como mera espectadora.

4 comentários:

Labios de Mel disse...

Belissimo!!

Gosto da tua imaginação...da forma como descreves "um conto de fadas".

Fascinas-me com a tua alma de poetiza.

Beijinhos sonhadores

Secreta disse...

Também tu podes protagonizar uma historia de princesas...

Labios de Mel disse...

Beijinhos princesa :)

maria carolina disse...

posso dar uma ideia, Miúda(nada)Má? porque não escreves tu a história da princesa desde o início? uma história em que ela seja só tua... de forma a que o "viveram felizes para sempre" de todas as histórias de principes e princesas que já se escreveram seja apenas uma pálida imagem do que tu e ela poderão viver?