quarta-feira, 15 de maio de 2013

Sem despedidas

22h15. Saio mais cedo.
Hoje não fico aqui, vou andando para casa. Tenho esperança que estejas à minha espera. Hoje, acredito que não vais partir sem te despedires.
Acredito que, tal como no outro dia, estás à minha espera no carro, no estacionamento. E por isso vou, não te quero fazer esperar. Talvez tenhas chegado mais cedo. Talvez estejas entusiasmada como eu.
Saio do edificio e vejo apenas o meu carro estacionado. Abrando o passo, talvez te tenhas atrasado, afinal esperas que saia às 22h30.
Entro para o carro, começa a fazer frio. Não quero esperar mais por ti, quero ver-te rapidamente.
Decido descer a rua e parar no início, páro mesmo em cima da passadeira, assim, quando fizeres a curva deparas-te logo comigo.
Desligo as luzes mas deixo o carro ligado, o frio mantém-se.
Não consigo parar de olhar para o relógio. 22h23... 22h25... 22h26... 22h29... 22h31... 22h34... 22h37...
O relógio avança e o frio aumenta. Tenho um nó no estomago. Cerro os dentes, sinto a veia a latejar, fecho os olhos... O meu corpo é esponja... na rádio passa Fix You - Coldplay.
Não resisto mais, as lágrimas teimam em sair, umas atrás das outras. Os dentes continuam cerrados, a veia quer rebentar. Levo as mãos à cabeça, estou desesperada. Nem sei mais que sentir... nem sei como gerir o que sinto, apetece-me gritar!
Mas... continuo na rua mal iluminada, imóvel, deixo descair as mãos para os olhos. Já não quero ver, tento seguir a música, parece-me uma mensagem para sair dali.
22h48 quando ligo as luzes e começo a marcha, sempre a olhar para o retrovisor para ver se apareces. As lágrimas não me dão tréguas.
Sinto-me frustrada. Angustiada. Hoje fiquei angustiada.
A meio caminho, em desespero agarro no telemóvel para te ligar, mas, sei que é o desespero a falar mais alto. Não me posso permitir isso. E volto a pousá-lo.
Tenho que parar nas bombas de gasolina, não consigo conduzir neste estado.
Fico esgotada, sem mais força para chorar, melhor assim... e, em marcha lenta, ainda de lágrimas nos olhos, sigo caminho.




2 comentários:

Um Doce no Coração disse...

A historia repete se...sei como doí!!

Força...coragem!!

Beijinhos

Emilie disse...

Tão triste...

Um beijinho*