terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Eis que...

Enquanto conduzo, ouço o telemóvel tocar. Lanço a mão para o alcançar, mas já não vou a tempo. Vejo o nome dela no visor do telemóvel, como chamada não atendida. Nem quero acreditar! 2 Chamadas?! Pouso o telemóvel, questiono-me se necessitará de alguma coisa, depois do sms que enviei, em que o melhor seria não nos voltarmos a ver, porque iria ligar-me? Resisto a ligar de volta, continuo o meu percurso, com grande dificuldade de concentração e ainda com 50 km de percurso até chegar a casa. Retorno a chamada? Não retorno? Uh, considerando que é falta de educação não ligar de volta, o melhor será ligar assim que estacionar. Estaciono. Olho para o telemóvel, agarro-o, pouso-o. Agarro-o e retorno a ligação. Toca, toca, quando estou prestes a desligar, ouço do lado de lá uma voz: "Olá, Olá"! Quase que fico sem fôlego. Respondo de volta. Questiona-me por onde ando e o que ando a fazer. Como odeio que façam estas questões. E colocares-me um GPS, não?! Mas respondo educadamente: "Na rua", bem, na verdade estava no carro, na rua. Pergunta-me se quero ir jantar no dia seguinte, digo-lhe que não vou estar disponível. Pergunta-me pelo dia seguinte e o seguinte do seguinte, atalho e respondo que só regressarei no sábado. Diz-me que é uma pena, pois queria jantar comigo e tinha pensado em passarmos esse fim de semana juntas. Nem quis acreditar, mas o que é isto?! Um dia acordou e lembrou-se de mim?! E achou que eu estaria disponivel 100% a aguardar a qualquer momento por um telefonema? Não! Tinha planos, uma viagem marcada. Nada a fazer, percurso normal. Tinha saudades, mas já me tinha habituado às mesmas. Paciência, fica para a próxima. Aliás, espero que seja claro que não quero uma próxima... ou quererei? Damn!

2 comentários:

Secreta disse...

Se queres ou não , só tu podes decidir.
Mas...não esqueças por tudo o que passaste e poderás vir a passar de novo...

Miuda Má disse...

A linha que separa o ir do ficar é por vezes tão ténue, que nós nem sempre conseguimos distinguir.